Wednesday, February 9, 2011

Indústria da Prototipagem

A euforia nos avanços nas tecnologias de informação e comunicação afectou uma parte significativa de recursos humanos globais.
Acreditámos que o nosso futuro estaria nas Software Houses e apostámos em excesso nessa "casa".
Desvalorizámos a indústria num pressuposto que a Europa de Leste e a Asia chamariam a sí essa função.

Hoje, diria que de forma legítima, olhamos com apreensão para essas "certezas".

Em Portugal temos várias características que em conjunto podem promover milagres: Um mercado pequeno e ávido de inovação; recursos humanos qualificados e disponíveis; "hospitalidade e tolerância religiosa" que nos permite interagir com todo o mundo.

Provavelmente já percebeu onde pretendo chegar: Prototipagem

Temos todas as condições para sermos um país de experimentação.
Aconteceu com a Via Verde, com o Multibanco, com os telemóveis pre-pagos e com milhares de outros produtos menos conhecidos. Parte deles não passou o teste do mercado, o que é normal.
Hoje somos o centro das atenções com a aposta na rede de abastecimento de viaturas eléctricas e na produção de energias renováveis. O futuro dirá do seu sucesso.

Identificada a oportunidade, questiono-me sobre envolvimento dos centros de educação e conhecimento para esta vocação: Estamos a implementar Fab Labs nas nossas escolas e universidades?

Próximo passo: Working Labs.

1 comment:

  1. é tão bonito o discurso... mas eu ganhei com uma ideia duas vezes para a constituiçao de uma escola de artes... uma ideia de negocio sim mas mais no ambito do empreendedorismo social do que propriamente lucro à vista nos 1ºos anos... sou desempregada cheia de ideias de negocio e sustentabilidade mas apesar de ter ganho teria de pagar a uncubação da ideia para obter os tão desejados apoios à constituição de empresa... ora meus senhores não saimos do mesmo... se não tens dinheiro nada fazes neste país.. capital de risco não existe por tanto... não entendo tanto entusiasmo nestes discursos!!!

    ReplyDelete